São realizadas cirurgias de plástica ocular estéticas e para correção de deformidades e anormalidades das pálpebras e sistema lacrimal.

Algumas das cirurgias e procedimentos realizados:

  • Blefaroplastia (corrige bolsas de gordura e excesso de pele nas pálpebras);
  • Tratamento estético e para espasmos;
  • Correção de ectrópio;
  • Correção de entrópio;
  • Correção de ptose (pálpebra caída);
  • Correção de lagoftalmo;
  • Correção de triquíase;
  • Correção de simbléfaro;
  • Reconstrução de pálpebras;
  • Exerese de tumores e cistos palpebrais;
  • Implante de prótese ocular interna;
  • Sondagem das vias lacrimais;
  • Dacriocistorrinostomia (cirurgia de vias lacrimais).

Blefaroplastia

Também conhecida como plástica das pálpebras, é a cirurgia na qual o excesso de pele das pálpebras é removido. Antes da cirurgia é realizada a marcação do excesso de pele e/ou gordura a ser retirada. Pode ser realizada só com anestesia local ou com anestesia local e sedação. Os pontos são retirados em 5 a 7 dias após o procedimento.

Perguntas e respostas sobre Blefaroplastia

1. O que é blefaroplastia?

É o tratamento para remoção do excesso de pele e bolsas de gordura que se acumulam sobre as pálpebras superior e inferior.

2. Eu posso operar minhas pálpebras? Qual é a indicação?

Com o envelhecimento a pele das pálpebras tende a ficar mais flácida, assim como a musculatura de sustentação dos olhos. Algumas pessoas têm maior tendência a formar aquelas bolsas de gordura sob a pálpebra, isso se agrava com a perda do tônus muscular que mantém as bolsas. Com o tempo a musculatura flácida associada ao excesso de pele faz com que as pálpebras fiquem pesadas e caídas. Estas mudanças podem ocorrer em diversas idades, estando relacionadas com a genética e hábitos. A blefaroplastia está indicada para a correção destas alterações.

3. Com que idade posso operar minhas pálpebras?

Não existe uma idade ideal. Estas alterações, apesar de mais freqüentes em pessoas de idade mais avançada, podem aparecer em qualquer idade. Mas o médico é que determinará a real necessidade do procedimento.

4. Qual a melhor época do ano para realizar a cirurgia?

A blefaroplastia pode ser realizada em qualquer época do ano, desde que se tome os cuidados pós operatórios que o médico irá orientar.

5. Como é realizada a anestesia na blefaroplastia?

Dependendo do caso, pode ser feita com anestesia local ou anestesia local assistida (ou seja, sedação endovenosa com médico anestesista acompanhando todo o procedimento cirúrgico) O anestesista punciona uma veia onde é administrado um sedativo, após infiltra-se o anestésico diretamente no local. As pálpebras e as regiões próximas ficam dormentes, e o paciente, relaxado.

6. Quanto tempo dura a blefaroplastia?

De 1 a 2 horas dependendo do caso.

7. Como é o pós operatório?

O paciente permanence sob observação por um determinado período após a cirurgia;

Não é colocado nenhum tampão ou curativo oclusivo, ou seja vai sair enxergando normalmente;

A dor é mínima e será prescrito analgésicos para minimizá-la.

8. Por quanto tempo duram as manchas roxas e inchaços?

Os inchaços (edema) duram aproximadamente uns 5 dias e vão melhorando gradativamente. As manchas roxas (equimoses) demoram um pouco mais e depende de vários fatores, mas geralmente desaparecem em 2 semanas.

9. Quando são retirados os pontos da blefaroplastia?

Os pontos são retirados em torno de 5 a 7 dias da cirurgia.

10. Fica alguma cicatriz após a blefaroplastia?

Qualquer cirurgia deixa cicatriz. Na pálpebra superior ela fica escondida na dobra da pele e também tende a atenuar com o passar dos meses. Na pálpebra inferior pode não aparecer caso a cirurgia seja realizada via transconjuntival (casos em que não se remove a pele, apenas bolsas de gordura).

11. Quanto tempo para atingir o resultado definitivo?

Nas primeiras duas semanas as mudanças são mais rápidas, mas o resultado final deve aparecer com 6 meses.

Doenças das Pálpebras e do Aparelho Lacrimal

Entre as alterações palpebrais mais comuns, destaca-se a ptose palpebral (pálpebra superior caída), que pode ser congênita ou adquirida. Decorre de disfunção na musculatura que abre o olho.

Outro distúrbio que causa bastante incômodo para os olhos é o ectrópio (pálpebra inferior caída e virada para fora) provocando grande exposição ocular, com conseqüente ressecamento, vermelhidão e lacrimejamento.

O entrópio aparece quando a pálpebra e os cílios estão voltados para dentro do olho, podendo ocorrer devido a senilidade, espasmo muscular, queimaduras térmicas e químicas.

Ambos devem ser tratados a fim de evitar graves lesões oculares, as quais podem evoluir para significativo comprometimento da visão. A correção cirúrgica dessas patologias é rápida, feita sob anestesia local e sem internação.

Os tumores de pálpebra, muitos são benignos, mas existem os cânceres de pele por exposição ao sol. Todos devem ser tratados o mais breve possível, pois tendem a avançar rapidamente. Se malignos, devem ser retirados com margem de segurança e enviados para exame (anatomo-patológico), para a certeza de sua erradicação e a melhor recontrução possível.

A cirurgia palpebral cosmética para rejuvenescimento (remoção de excessos de pele, bolsas de gordura) é outra área de atuação dessa especialidade.

Para olhos secos (ardência, sensação de areia, olhos vermelhos), por deficiência na produção da lágrima (idosos, portadores de artrite etc), ou má lubrificação (ex: usuários de computador), o tratamento clínico é com colírio e gel lubrificante, ou oclusão de ponto lacrimal com “plugs” provisórios ou definitivos.

Os lacrimejamentos, algumas vezes causados por obstrução no escoamento da lágrima, podem ser congênitos (comuns em bebês e tratados com ótimos resultados) ou adquiridos. Esses lacrimejamentos podem ser seguidos de inflamação e mau cheiro, e são tratados com cirurgia para restauração da via lacrimal.

Nos casos de atrofia do globo ocular, perda do globo ocular após perfurações e infecções severas seguidas de atrofia ocular, ou nos tumores que exigem a remoção dos olhos, podem ser realizados implantes de silicone ou materiais biocompatíveis, associados à adaptação de próteses pintadas na cor do olho contra-lateral. A cirurgia plástica ocular pretende, ao tratar estas patologias, conservar o aspecto natural da pessoa e renovar sua auto-estima, preservando o lado funcional e estético das estruturas comprometidas, permitindo o retorno desta pessoa às suas atividades e ao convívio harmonioso com a sociedade.

Correção de Ectrópio

É um mau posicionamento das pálpebras, que nesse caso estão viradas para fora. Pode ter diversas causas como: congênita (frouxidão dos ligamentos), exposição crônica ao sol, queimaduras químicas e traumas físicos.

Tal condição pode causar sintomas como: vermelhidão, ardência, coceira, lacrimejamento e ceratite.

Pode ser corrigido com diversas técnicas cirúrgicas.

WhatsApp chat